terça-feira, 30 de dezembro de 2014

INDONÉSIA | DESTROÇOS DE VOO DA AIRASIA QUE SUMIU SÃO LOCALIZADOS

Partes da aeronave estavam a cerca de 10 quilômetros do último contato. Corpos foram retirados; avião militar achou sombra que pode ser avião.

Do G1, em São Paulo
Imagem área mostra o que podem ser os detroços da aeronave da AirAsia (Foto: BAY ISMOYO/AFP) 




























As autoridades da Indonésia confirmaram nesta terça-feira (30) que os destroços encontrados por um pescador no Mar de Java são do voo QZ-8501 da AirAsia, desaparecido desde o último último domingo (28) no horário local, noite de sábado (27) no Brasil. O Airbus A-320-200 levava 162 pessoas de Surabaia, na Indonésia, para Cingapura.


A Agência Nacional de Buscas e Resgate do país (Basarnas) afirmou que os pedaços da porta e de uma rampa de emergência da aeronave estavam a cerca de 10 quilômetros da última posição registrada pelos radares.

Cerca de 30 navios e 21 aviões de Indonésia, Austrália, Malásia, Cingapura, Coreia do Sul e Estados Unidos estão envolvidos nas buscas.

Mais de 40 corpos já foram recuperados do mar, informou um porta-voz da Marinha. O trabalho é feito por equipes a bordo de um navio de guerra.

Além disso, um avião militar detectou uma “sombra” no fundo do oceano, que pode corresponder ao avião desaparecido. “Um Hércules da Força Aérea achou um objeto descrito como uma sombra no fundo do mar com a forma de um avião”, disse Bambang Soelistyo, chede da Basarnas.

O Ministério das Comunicações da Indonésia (Kemenhub) afirmou que o logotipo da companhia asiática foi identificado em alguns dos objetos localizados no mar, conforme o jornal local "Detik".

As partes do avião estão no estreito de Karimata, que separa as ilhas de Bornéu e Belitung, próximo de uma base aérea que serviu como ponto de decolagem para os aviões que participam da operação internacional de busca e resgate.

Fotos de corpos flutuando no mar foram transmitidas pela televisão e parentes de passageiros reunidos em um centro de crise em Surabaya choravam com as mão na cabeça. Segundo um repórter da Reuters, algumas pessoas entraram em colapso em meio ao choro e foram socorridas.

"Vocês têm de ser fortes", disse a prefeita de Surabaya, Tri Rismaharini, ao confortar familiares das vítimas. "Eles não são nossos, eles pertencem a Deus."
Parentes de passageiros do avião da AirAsia que caiu no mar choram no aeroporto de Juanda, em Surabaya, na Indonésia, ao receberem a notícia da localização dos destroços da aeronave nesta terça-feira (30) (Foto: Manan Vatsyayana/AFP)


























A confirmação ocorreu horas depois de as autoridades divulgarem que um pescador tinha encontrado vários objetos no Mar de Java. Helicópteros e navios foram enviados ao local para recuperá-los e determinar sua procedência.

Equipe de resgate desce ao mar para recuperar corpo de
vítima da queda do avião da AirAsia (Foto: TV ONE via
Reuters TV/Reuters
O CEO da AirAsia, Tony Fernandes, escreveu no Twitter que “meu coração está cheio de tristeza por todas as famílias envolvidas no QZ 8501. Em nome da AirAsia, minhas condolências a todos. Palavras não podem expressar o quanto estou triste”. A mensagem foi publicada após a localização dos destroços.

Buscas

Nesta terça-feira (30), as autoridades locais ampliaram a área de operação. São 13 os setores de busca, incluindo as águas do norte do Mar de Java, o estreito de Karimata e o norte da ilha de Bangka. Já em terra, foram acrescentadas a ilha de Belitung e o sudoeste de Bornéu.

Os Estados Unidos atenderam o pedido de ajuda e passaram a integrar as equipes de buscas, inclusive, com o envio de um navio de guerra, um destróier USS Sampson. Ao todo, são cerca de 30 navios, 15 aviões e sete helicópteros na operação, que conta ainda com a ajuda de Malásia, Cingapura, Austrália, Coreia do Sul, Tailândia e China.

Desaparecimento




O voo QZ-8501 da AirAsia saiu de Surabaia, na Indonésia, com destino a Cingapura, onde pousaria duas horas depois, segundo a previsão da companhia.

No caminho, o piloto chamou a torre de controle e pediu permissão para mudar a altitude de 32 mil para 38 mil pés para evitar uma tempestade. A alteração de rota foi aprovada imediatamente.

No entanto, dois minutos depois, quando os controladores tentaram comunicar a autorização para que o avião subisse aos 34 mil pés, não houve resposta. A aeronave sumiu dos radares e não foi emitido nenhum sinal de socorro.

Estavam a bordo 155 passageiros e outros sete integrantes da tripulação. Entre eles há 155 indonésios, três sul-coreanos, um britânico, um francês, um malaio e um cingapuriano.
Equipes de busca da Força Aérea da Indonésia procuram o avião da AirAsia que caiu neste domingo (28); destroços foram encontrados a 10 km do último ponto de contato da aeronave (Foto: Bay Ismoyo/AFP)



























Fonte: GLOBO.COM

segunda-feira, 29 de dezembro de 2014

MALÁSIA | INUNDAÇÕES MATAM OITO E DESALOJAM 132 MIL PESSOAS NA MALÁSIA

27/12/2014, 16h39
Mulher caminha na água perto de Rantau Panjang, em Kelantan  (Zid Omar/Epa/Agência Lusa/direitos reservados
Pelo menos oito pessoas morreram e 132 mil foram retiradas de casa na sequência das inundações que afetam o Norte da Malásia, informaram os meios de comunicação locais.

O último caso confirmado de morte foi o de um corpo encontrado hoje (28) pelas equipes de resgate no estado de Terengganu. A vítima é um homem de 37 anos que estava desaparecido desde quarta-feira (24) após o naufrágio de uma embarcação.

ANGOLA | 13 MORTOS EM ACIDENTES DE VIAÇÃO EM ANGOLA

25.12.2014 - 16:21
Um balanço provisório da polícia angolana do início da quadra festiva em Angola, aponta para um total de 13 mortos e 82 feridos, em consequência de 75 acidentes de viação, ainda a maior preocupação das autoridades policiais.

quarta-feira, 24 de dezembro de 2014

FELIZ NATAL E UM PRÓSPERO ANO NOVO


NESTA ÉPOCA FESTIVA, A PRUDÊNCIA É A CONDIÇÃO "SINE QUA NON" PARA PROSPERARMOS O ANO DE 2015, QUE JÁ NOS BATE À PORTA! FESTEJE E PREVINA-SE, POIS, O ANO NOVO ESPERA-LHE!

segunda-feira, 15 de dezembro de 2014

REPÚBLICA DEMOCRÁTICA DO CONGO | 129 MORTOS EM NAUFRÁGIO

Pelo menos 129 pessoas morreram num naufrágio na última quinta-feira no lago Tanganyika, sudeste da República Democrática do Congo - segundo balanço oficial divulgado neste domingo.
"As equipas de socorro recuperaram 129 corpos ao todo", declarou à AFP Laurent
Sumba Kahozi, ministro dos Transportes da província de Katanga. O último balanço divulgado pelo ministro falava em 26 mortos. 

sexta-feira, 12 de dezembro de 2014

CABO VERDE| ERUPÇÃO VULCÂNICA: GOVERNO AGRADECE "PRONTA DISPONIBILIDADE" DE PROTUGAL

O Governo está agradecido pela disponibilidade e rápida resposta de Portugal às solicitações, exemplificando com a chegada esta semana, de um avião da Força Aérea lusa com duas ambulâncias para reforçar a frota da Protecção Civil no Fogo. Em comunicado, manifesta ainda apreço e reconhecimento pela colaboração dada pela tripulação da Fragata Alvares Cabral, cuja missão revelou-se importante para ajudar a aliviar o sofrimento da população da ilha do Fogo. Os mantimentos e produtos alimentícios, materiais e equipamentos de protecção como máscaras e óculos, casas de banho móveis, camas e cobertores, foram e continuarão a ser de extrema importância para suprir as necessidades básicas e imediatas dos deslocados. O helicóptero permitiu sobrevoar as proximidades do vulcão e fazer um reconhecimento da encosta, com o intuito de identificar possíveis saídas marítimas emergenciais”, lê-se na nota emitida pelo gabinete do PM. 
Igualmente importante são os equipamentos e instalação de um sistema de comunicação via satélite com 22 telefones de emergência para o caso de corte da telecomunicação por destruição ou avaria provocado pelo vulcão e que já está pronto a funcionar. “O Governo também agradece a positiva resposta, face a um pedido do Gabinete de Crise, para a permanência do navio e tripulação para além do prazo estipulado. Isso, porque o navio que deveria permanecer no país até 7 de Dezembro, acabou por permanecer até o dia 9 de Dezembro, data em que saiu do porto da Praia rumo a Portugal”, pontua. 

quarta-feira, 10 de dezembro de 2014

ERUPÇÃO NO FOGO: ANGOLA ENVIA DOIS AVIÕES E UM BARCO COM ALIMENTOS E MATERIAIS DE CONSTRUÇÃO CIVIL

O Governo angolano vai enviar ainda esta semana dois aviões com gêneros alimentícios e materiais de construção civil, num acto de solidariedade às gentes de Chã das Caldeiras, Fogo. Mas o barco que vai trazer o grosso dos produtos deverá chegar nos próximos dias. Esta é a resposta ao pedido do Governo de Cabo Verde enviado aquele país na semana passada.
O presidente do Gabinete de Crise cabo-verdiano, Antero Matos, explicou aoasemanaonline que, embora ainda não tenha uma resposta das autoridades angolanas quanto à data exacta da chegada do apoio às gentes de Chã das Caldeiras, o certo é que já está confirmado a chegada dos aviões para esta semana.
"O Primeiro-ministro de Cabo Verde endereçou um pedido de ajuda ao Governo de angola que o analisou e deu uma resposta positiva. Inicialmente falaram-se em helicópteros mas agora os serviços angolanos confirmaram o envio de dois aviões com gêneros alimentícios e materiais de construção civil", assinalou.

segunda-feira, 8 de dezembro de 2014

CABO VERDE, ILHA DO FOGO| EXISTE O RISCO DA LAVA AUMENTAR DE VELOCIDADE E IR PARA O MAR

A lava do vulcão  que desde o dia 23 de Novembro  assola a ilha do Fogo está a deixar a sua passagem um rasto de destruição . Portela e Bangaeira já foram destruídas pelas lavas que ora abrandam ,ora aceleram . O site da Actualidad Volcánica de Canarias (AVCAN)   escreve  que ambas as localidades,  estão a cerca de 2.000 metros de altitude. Bangaeira encontra-se  num vale  pendente no nordeste de Chã das  Caldeiras, uma grande meseta que serve de base a vários cones vulcânicos, o que permitiu que a lava um aumentasse  de velocidade pois não encontrou obstáculos.
Esta possibilidade já  tinha sido avançada pelos jornalistas no terreno  que relataram o receio  dos populares que as lavas chegassem a esse declive .

quarta-feira, 3 de dezembro de 2014

VULCÃO DO FOGO MANTÉM-SE ACTIVO MAS LAVA CORRE A MENOS DE UM METRO POR HORA

A lava do vulcão de Chã das Caldeiras abrandou o ritmo durante a madrugada de hoje, movendo-se a menos de um metro por hora, disse à agência Lusa uma responsável do Observatório Vulcanológico de Cabo Verde (OVCV.
Segundo Sónia Silva Vitória, presidente da comissão técnica e científica do observatório, o vulcão na ilha do Fogo continua com três focos activos e a lava continua a ser libertada e a fluir, mas mais lentamente, a menos de um metro por hora", tendo de se ter sempre em conta o fator da imprevisibilidade.
A calma mantém-se desde o início da madrugada de hoje, acabando por permitir "descansar um pouco" o contingente de segurança que pernoita em Portela, a maior povoação de Chã das Caldeiras, o planalto que serve de base aos vários cones vulcânicos.

terça-feira, 2 de dezembro de 2014

ERUPÇÃO DO VULCÃO DO FOGO: LAVA AUMENTA DE VELOCIDADE E CONSOME ESCOLA E HOTEL

A torrente de lava, que esteve praticamente estacionária, há cerca de 24 horas, aumentou significativamente de intensidade na madrugada desta terça-feira, consumindo grande parte do povoado de Portela, em Chã das Caldeiras. A lava, que já consumiu a escola secundária, o hotel Pedra Bravo e várias habitações desta terça-feira, avança a uma velocidade de dois metros em cada 12 minutos. O vulcão do Fogo entrou em erupção no dia 23 de Novembro e, antes dos estragos desta terça-feira, a lava já tinha destruído cerca de duas dezenas de casas, 14 cisternas, 15 currais e casa de apoio à agricultura. Também destruiu uma vasta área de terrenos agrícolas, a sede administrativa e o museu do Parque Natural do Fogo, mas não provocou quaisquer vítimas.

Fonte: A Nação, 02 de Dezembro 2014


quinta-feira, 27 de novembro de 2014

ILHA DO FOGO: POVOAÇÃO DE PORTELA PODERÁ SER ENGOLIDA NAS PRÓXIMAS HORAS - PROTECÇÃO CIVIL

A povoação de Portela, em Chã das Caldeiras, poderá ser engolida nas próximas horas pelas lavas que, segundo o presidente do Serviço Nacional de Protecção Civil e Bombeiros (SNPCB), Arlindo Lima, registam neste momento um aumento de intensidade.
Em declarações à Inforpress, Arlindo Lima disse que ao contrário das informações “animadoras” avançadas na tarde de quarta-feira, 26, regista-se hoje um aumento da actividade sísmica no interior do vulcão.
“Neste momento, temos outros dados de que estamos tendo o aumento da actividade sísmica, isto quer dizer que estamos tendo uma grande movimentação de lavas no interior do vulcão e que nas próximas horas vamos ter um aumento da emissão de lavas”, precisou.
Na tarde de quarta-feira havia apenas uma boca de emissão de lavas, que corriam a uma velocidade de três metros por hora. Entretanto, hoje por volta das 09:00 estavam três bocas a emitir lavas, indicou aquele responsável.
“Isto quer dizer que nas próximas horas vamos ter o aumento das correntes de lavas e consequentemente teremos o aumento da velocidade da lava que avança para a zona de Portela”, disse Arlindo Lima.
Em Cova Tina, onde foi aberta uma via de acesso, a lava voltou a correr e nas próximas horas essa via alternativa poderá voltar a ser obstruída, complicando o transporte dos bens das pessoas, que já se demonstram desanimadas.
Ate às 09:00 desta quinta-feira, 15 casas já tinham sido engolidas pelas lavas que destruíram parcialmente a sede do Parque Natural do Fogo.


Fonte: Sapo noticias Cabo Verde, 27 de Novembro 2014

ERUPÇÃO VULCÂNICA NO FOGO DESTRÓI CASAS, CISTERNAS E CURRAIS

A lava que está a ser expelida pelo vulcão da ilha do Fogo já destruiu 15 habitações, 14 cisternas, 15 currais e duas casas de apoio aos agricultores de Portela, a principal povoação de Chã das Caldeiras. confirmação foi dada à agência Lusa por Hélio Semedo, geólogo do Instituto Nacional de Proteção Civil e Bombeiros (INPCB), indicando que o perímetro agrícola também está a ser devorado pela lava. O responsável informou que, por volta das 18:00, a velocidade da lava diminuiu - estava a três metros por hora -, mas considerou que se o vulcão continuar com a mesma atividade, dentro de quatro dias os detritos poderão chegar à escola da Portela, espaço onde está montado todo o contingente de segurança da Proteção Civil, Cruz Vermelha e polícia. Ao início da tarde, o primeiro-ministro, José Maria Neves, visitou Chã das Caldeiras para se inteirar de perto da situação e a comitiva fez os dois últimos quilómetros a pé porque a estrada, que tinha sido aberta duas horas antes, foi "engolida" pelas lavas. Hélio Semedo confirmou que, por volta das 18:00, a via estava praticamente reconstruída e os residentes tinham começado a retirar os seus pertences da área de Chã das Caldeiras para locais mais seguros. Em declarações à Lusa, José Maria Neves, sem precisar locais, avançou a probabilidade de se vir a construir outra aldeia, caso Chã das Caldeiras fique inabitada com a erupção vulcânica. A lava aproxima-se também da Cooperativa de Viticultores de Chã das Caldeiras, e em risco estão mais de 200 mil litros de vinho da colheita deste ano, mais algumas centenas de litros de 2013. O vulcão do Fogo entrou em erupção domingo, depois da última que ocorreu em 1995 e da registada em 1951. Até agora não há registo de vítimas humanas. 

Fonte: Sapo noticias Cabo Verde, 26 de Novembro 2014

quarta-feira, 26 de novembro de 2014

VULCÃO DO FOGO: UCCLA MOBILIZA RECURSOS EM SOLIDARIEDADE AO POVO DE CHÃ DAS CALDEIRAS

A União das Cidades Capitais de Língua Portuguesa vai desencadear a partir de hoje, dia 26, uma acção de solidariedade para com a população de Chã das Caldeiras, afectada pela erupção vulcânica na ilha do Fogo.
"A circunstância da capital da ilha do Fogo, São Filipe, ser uma cidade associada da UCCLA, justifica que esta não possa deixar de movimentar uma acção de solidariedade para com a população afectada", justifica um comunicado da organização.
Segundo a mesma fonte, as necessidades expressas pelos responsáveis institucionais da região serão veiculadas e centralizadas pela UCCLA, a partir desta quarta-feira, através de uma "pronta prestação", da qual acredita que será mobilizada pelas entidades associadas e pelo povo português.
A acção, esclarece, destina-se a sensibilizar as autoridades associadas da UCCLA e o povo português em geral para este objectivo.
A campanha está a ser articulada com o presidente da Comissão Executiva da UCCLA, Ulisses Correia da Silva, também presidente da Câmara Municipal da Praia, e com o presidente de São Filipe, Luís Pires.
O vulcão da Ilha do Fogo reiniciou a sua actividade eruptiva no domingo, 23, com maior intensidade e consequência das que ocorreram em 1951 e 1995.
Em consequência das erupções, a população de Chão das Caldeiras, estimada em cerca de 1000 pessoas, teve de ser evacuada para uma zona de protecção e a circulação foi vedada.

Fonte: Sapo noticias, 26 de Novembro 2014

terça-feira, 25 de novembro de 2014

ILHA DO FOGO: DEPOIS DA DESTRUIÇÃO DA SEDE DO PARQUE NATURAL TEME-SE PELA ADEGA

Após a chegada das lavas à sede do parque é considerada pelas autoridades como perdida. Teme-se, agora pelas adegas onde estão depositados cerca de 100 mil litros de vinho. Os danos derivados da erupção do vulcão do Fogo já são considerados colossais, estando a sede do Parque Natural considerada como perdida pelas autoridades. Luís Pires, Presidente dos Municípios do Fogo, assegura que os danos materiais são enormes e garante que o parque e os bens de sobrevivência da população sofreram estragos. Porém, as autoridades locais e nacionais estão a fazer o levantamento dos danos para solicitarem ajuda internacional.
A maior preocupação da Protecção Civil é com as pessoas que teimam em desobedecer ao bloqueio imposto pela polícia, sobretudo jovens que ultrapassam as barreiras para ajudar os idosos e amigos a carregarem os bens materiais. O responsável da Protecção Civil considera que a situação é de desespero e o medo de perderem os próprios bens leva as pessoas a não respeitarem as barreiras impostas pela polícia.
As vias de evacuação são cada vez mais escassas, avança à RCV, porém, afirma que na zona de Chã das Caldeiras já não há civis, mas sim agentes de segurança e funcionários do Parque Nacional, que conhecem os caminhos vicinais e poderão chegar em segurança aos Mosteiros.

Fonte: Noticias do Norte, 25 de Novembro de 2014

MARROCOS: INUNDAÇÕES DEIXAM PELO MENOS 32 MORTOS


Pelo menos 32 pessoas morreram em decorrência das enchentes e inundações provocadas pelas fortes tempestades que assolaram o sul de Marrocos nos últimos três dias, segundo um balanço provisório do governo apresentado esta segunda-feira, dia 24 de Novembro.
A região mais afectada pelas chuvas foi a de Guelmim, no sudoeste do país.
As autoridades afirmaram que "o Ministério do Interior, as Forças Armadas Reais e a Guarda Real continuam empregando todos os esforços para socorrer as pessoas que estão isoladas pelas inundações, mobilizando seus recursos".  O governo marroquino disse ainda que as operações de socorro haviam permitido salvar pelo menos "200 pessoas, incluindo 40 com a ajuda de helicópteros das Forças Armadas e da Guarda Real". 

Fonte: Sapo noticias, 24 de Novembro 2014

segunda-feira, 24 de novembro de 2014

VULCÃO DO FOGO: CHÃ DAS CALDEIRAS PODERÁ FICAR ISOLADA POR VOLTA DAS DEZ HORAS DA NOITE.

A agência Inforpress avança que a lava expelida pelo vulcão na ilha do Fogo está a cerca de 500 metros da única estrada alternativa que liga Chã das Caldeiras ao resto da ilha.
A continuar a correr no mesmo ritmo, a zona ficará completamente isolada por volta das 22:00 de hoje, conforme previsões do investigador foguense Fausto do rosário.
"Há duas bocas de lavas e o volume das lavas é bastante grande. Uma já cortou a estrada principal e está a dirigir-se para Curral de Asnos e começou já a comprometer a via alternativa. Pelos meus cálculos, a via ficará completamente comprometida dentro de alguma horas", advertiu.
Fausto do Rosário, que acompanhou a erupção de 1995, recomenda por isso as pessoas a deixarem o local, levando aquilo que conseguem retirar, porque podem não perder, mas ficarão isolados por algum tempo.
Neste momento, os militares deslocados da Cidade da Praia já se encontram em Chã das Caldeiras a apoiar na retirada das pessoas bem como a Polícia Nacional, que está no terreno desde manhã.
A comunicação tornou-se complicada na zona porque a lava já destruiu os postes da Cabo Verde Telecom, estando a funcionar apenas a comunicação pela via dos serviços da Unitel T+.


Fonte: Sapo noticias, 23 de Novembro 2014

segunda-feira, 17 de novembro de 2014

NAVIO COM MATERIAL HUMANITÁRIO A CAMINHO DOS PAÍSES AFRICANOS AFECTADOS PELO ÉBOLA

Um navio holandês com ajuda europeia está a caminho dos três países mais afectados pelo vírus Ébola na África ocidental e fez escala no domingo em Dakar. De acordo com o canal de televisão senegalês RTS, o navio transporta 160 veículos, 80 contentores e 1.200 toneladas de equipamentos médicos para a Libéria, Serra Leoa e Guiné. "É um navio holandês, mas é uma missão europeia, porque a bordo há material humanitário de nove países europeus", afirmou o embaixador da Holanda, Pieter Jan Kleiweg de Zwaan. Entre os países que participam na ajuda humanitária estão Holanda, Reino Unido, Hungria e República Checa. A tripulação do "Karel Doorman" espera chegar à Serra Leoa na terça-feira, à Guiné na sexta-feira e encerrar a missão na Libéria dentro de oito a 10 dias.

Fonte: Sapo Cabo Verde, 17 de Novembro de 2014

quinta-feira, 13 de novembro de 2014

MALI: REGISTA NOVO CASO DE ÉBOLA, SEM VÍNCULOS COM O ANTERIOR

O Mali, o último país afectado pela epidemia de Ébola no oeste da África, registou um novo caso da doença - sem vínculos com o anterior - ligado a um paciente vindo da Guiné, anunciaram esta terça-feira fontes médicas coincidentes. A vítima é um paciente "que esteve em contacto com um cidadão guineense que morreu de Ébola", disse à AFP um responsável do Hospital Pasteur em Bamako. "Há quinze dias, recebemos um cidadão procedente da Guiné. Sofria, entre outras coisas, de insuficiência renal", informou um funcionário da clínica, acrescentando que o paciente "faleceu e seu corpo foi repatriado". "Alguns dias após o incidente, outro paciente da clínica, que estava em contacto permanente com o guineense falecido, começou a ter vómitos e diarreia. Ele morreu às 18H00" (hora local), revelou a fonte. Segundo a mesma fonte, vários pacientes que estavam no hospital abandonaram a instituição, enquanto outros foram colocados em observação. O paciente guineense falecido era um imã de Kourémalé, uma localidade da fronteira, disse um polícia à AFP. Na segunda-feira, o Mali suspendeu a quarentena sobre 25 das 108 pessoas que mantiveram contacto com o caso precedente de Ébola no país, uma menina guineense de dois anos falecida no dia  24 de Outubro, em Kayes. Os restantes deveriam sair da quarentena durante a semana.


Fonte: Sapo Cabo Verde, 12 de Novembro 2014

quarta-feira, 12 de novembro de 2014

ÉBOLA: LIBÉRIA, SERRA LEOA E GUINÉ-CONACRI À BEIRA DE GRAVE CRISE ALIMENTAR - ONU

A principal perita da Organização das Nações Unidas em direito à alimentação garantiu esta terça-feira que os países com uma epidemia de ébola estão “à beira de uma grave crise alimentar”. 
A principal perita da Organização das Nações Unidas em direito à alimentação, Hilal Elver, garantiu esta terça-feira que os países com uma epidemia de ébola – Libéria, Serra Leoa e Guiné-Conacri – estão “à beira de uma grave crise alimentar”.
Nestes países existem mais de um milhão de pessoas que precisam de ajuda em víveres para amenizar a falta de produtos básicos, disse em Genebra a relatora especial da ONU para o Direito à Alimentação.
A agricultura é a principal atividade económica na África Ocidental, onde dois terços da população dependem dela.

Neste contexto, “o fecho de fronteiras, a redução do comércio internacional, a descida do investimento estrangeiro e a diminuição do poder de compra de dezenas de milhares de famílias já vulneráveis deixa estes países em uma situação muito precária”, disse Elver.

Fonte: Lusa, 12 Novembro 2014

terça-feira, 11 de novembro de 2014

PORTUGAL EM ALERTA DEVIDO AO SURTO INESPERADO DE LEGIONELLA

O surto de legionella que Portugal vive é já o sexto maior em número de casos alguma vez registado no mundo, avança a Renascença. Portugal já registou quatro mortes e 180 pessoas encontram-se internadas em vários hospitais do país. De acordo com a Renascença, o último surto ocorrido em Portugal, no ano 2000, estava listado como caso de estudo. Nesse ano, Portugal havia registado 11 doentes. Já o surto de legionella que Portugal vive actualmente é raro e de grandes dimensões se se comparar com o surto de 2000. Portugal testemunho o sexto maior surto de legionella ficando imediatamente atrás do caso "zero", que deu nome à doença, indicam os dados do Centro Europeu de Prevenção e Controlo de Doenças (ECDC). A doença dos legionários foi descoberta em 1976, após infectar cerca de 200 pessoas num hotel da Pensilvânia, onde se reuniam veteranos de guerra da Legião Americana. No topo da lista de casos investigados e listados pelo ECDC, o Reino Unido com 494 infectados e a Espanha com 449 destacam-se pela dimensão.Com 180 casos, o surto que se começou a manifestar em Portugal na última sexta-feira será um dos maiores de sempre. Especialistas citados pela Renascença explicam que surtos de grande dimensão são raros e, na maior parte das vezes, o surgimento da legionella circunscreve-se a algumas dezenas de pessoas infectadas. Apenas oito dos casos na história da legionella registaram mais de 100 doentes.

Fonte: Sapo Cabo Verde, 10 de Novembro de 2014

sexta-feira, 31 de outubro de 2014

AUTORIDADES ALERTAM QUE NÃO É MOMENTO DE BAIXAR GUARDA CONTRA ÉBOLA


As autoridades de saúde e as organizações não-governamentais que lutam contra o Ébola na África Ocidental apelaram na quinta-feira a que não se reduza a mobilização internacional contra a epidemia, ainda que o número de casos registados na Libéria esteja a abrandar. 
O Banco Mundial prometeu 100 milhões de dólares suplementares para acelerar o destacamento de milhares de profissionais de saúde estrangeiros que são necessários nos países africanos afectados, durante uma visita do presidente a Acra, a capital do Gana, sede da missão das Nações Unidas para coordenar a luta contra o Ébola.
"Devemos ser muito, muito prudentes com esta epidemia que tem mostrado aumentos acentuados de número de casos, já que ainda não somos capazes de interpretar bem esta descida, mesmo que seja uma boa notícia", afirmou Jim Yong Kim, presidente do Banco Mundial.
O vírus propaga-se por "vagas", sublinhou o vice-ministro liberiano da Saúde, Tolbert Nyensuah, estimando que a descida do número de novos casos em Monróvia só será sustentável se se confirmar "em toda a região", com uma diminuição semelhante nas vizinhas Serra Leoa e na Guiné-Conacri.
A Organização Mundial de Saúde informou na quarta-feira que foram registados, até ao momento, 13.703 casos de vírus do Ébola desde o início da epidemia, no final de 2013, que já matou 4.922 pessoas.



Fonte: Sapo online Cabo Verde, 31 de Outubro 2014

segunda-feira, 20 de outubro de 2014

OMS DECLARA O FIM DA EPIDEMIA DE ÉBOLA NA NIGÉRIA

A organização Mundial de Saúde (OMS) declarou nesta segunda-fira oficialmente que a Nigéria está livre de Ébola, depois de ter passado os 42 dias necessários - dois períodos de incubação - sem nenhum novo caso de contágio confirmado.
"A epidemia na Nigéria foi derrotada. É um êxito espetacular que mostra ao mundo que o Ébola pode ser contido", disse o representante da OMS em Abuja, Rui Gama Vaz.
Também na passada sexta-feira, a OMS anunciou que o Senegal também tinha ultrapassado o mesmo período sem nenhum novo caso de contágio.
" A OMS declara oficialmente o fim da epidemia de Ébola no Senegal e felicita este país pela sua prontidão para acabar com a transmissão do vírus", referiu a organização, num comunicado divulgado em Genebra.
A chegada do Ébola à Nigéria, o país de maior população de África, com um sistema de saúde precário, disparou os tremores de uma rápida propagação do vírus. Mas a epidemia foi contida com um balanço de 20 vítimas, incluindo oito mortes, graças a uma resposta rápida e eficaz das autoridades.
Além de vigiar 900 casos considerados de risco, a Nigéria adoptou controlos nos aeroportos e portos do país.
As viagens ao exterior não foram proibida, mas a principal companhia aérea do país, Arik Air, suspendeu os voos para Libéria e Serra Leoa, que a par da Guiné-Conacri são os trê
s países mais afectados Ébola.

Fonte: Notícias Sapo Cabo Verde, 20 Outubro 2014

ESPANHA | ÉBOLA: PACIENTE ESPANHOLA EM "FASE DE RECUPERAÇÃO"

A primeira paciente infectada com Ébola em solo europeu poderá ter entrado em fase de recuperação.
O hospital de Madrid, onde se encontra internada Teresa Romero, afirmou que a auxiliar de enfermagem foi submetida a um novo teste ao vírus com resultado negativo, este domingo.
Um novo exame nas próximas 24 horas deverá permitir confirmar o primeiro resultado, quando os ministros dos Negócios Estrangeiros da União Europeia se reúnem esta segunda-feira, no Luxemburgo, para discutir uma acção coordenada a nível europeu.
Segundo algumas fontes, os responsáveis europeus pretendem articular a ajuda internacional através de três países centrais: Estados Unidos para a situação na Libéria, Reino Unido para a situação na Serra Leoa e França para a situação na Guiné-Conacri.
Para o responsável da diplomacia alemã, Frank Walter Steinmeier, é necessário, antes de mais, enviar uma única missão europeia para as zonas mais afectadas:
“A magnitude desta crise exige uma resposta coordenada que recorra a todos os instrumentos da nossa política externa comum. Devemos considerar mobilizar uma missão civil da UE que permitiria a países que não têm equipas no terreno de poderem dispor de uma plataforma para enviar pessoal médico”, afirmou Steinmeier durante uma reunião da OMS (Organização Mundial de Saúde) em Berlim.
Depois do Reino Unido e da França, a Bélgica já anunciou que vai reforçar os seus controlos sanitários nos aeroportos a partir desta segunda-feira.
Os Estados Unidos preparam-se para anunciar igualmente esta segunda-feira um novo protocolo de urgência que deverá incluir a necessidade de reforçar a protecção da pele e do cabelo do pessoal médico exposto a doentes com Ébola.

Fonte: Euronews, 20 de Outubro 2014

sexta-feira, 3 de outubro de 2014

JAPÃO | PELO MENOS 47 MORTOS E 16 DESAPARECIDOS DEVIDO A VULCÃO EM ERUPÇÃO

As autoridades japonesas informaram hoje que 16 pessoas continuam desaparecidas junto ao cume do monte Ontake, cujo vulcão entrou em erupção no passado sábado, numa altura em que o número de vítimas mortais ascende a 47. As autoridades de Nagano, onde se localiza o monte Ontake, confirmaram as informações anteriormente divulgadas pelos ‘media’. O monte Ontake, o segundo mais alto vulcão do Japão a seguir ao do Monte Fuji, com 3.067 metros, situado no centro do país, começou a expelir fumo, rochas incandescentes e cinzas na madrugada de sábado, de acordo com a Agência Meteorológica.

Fonte: Sapo CV, 3 Outubro 2014

segunda-feira, 29 de setembro de 2014

JAPÁO | AUTORIDADES VIGILANTES EM RELAÇÃO A EVENTUAIS ERUPÇÕES NOUTROS VILCÕES

Depois da erupção vulcânica no monte Ontake, as autoridades japonesas estão a tomar medidas de precaução para o caso de haver outras erupções, no Monte Fuji, por exemplo. Ainda que não tenha sido lançado nenhum alerta.
Equipas de resgate, também militares, começaram o transporte aéreo de mais de duas dezenas de corpos, esta segunda-feira de manhã. Há ainda desaparecidos. As buscas estão a ser feitas a “conta-gotas”, devido à alta concentração de dióxido de enxofre no ar.
Acredita-se que mais de 30 pessoas terão morrido, em resultado deste fenómeno natural, de todo inesperado, que ocorreu no sábado: “Não previmos esta erupção já que, situação idêntica, no Monte Ontake, não aconteceu muitas vezes e não tínhamos dados científicos suficientes”, explica Toshitsugu Fujii, da Agência de Meteorologia japonesa. Aquando da entrada em erupção, este vulcão estava dado, em termos de risco, como nível 1, o mais baixo da escala. O Monte Ontake, um destino de eleição para quem gosta de fazer escalada, fica localizado na principal ilha japonesa de Honshu. Desde 1979 que não ocorria uma erupção semelhante aqui, na altura não houve vítimas. A actividade sísmica no país é muito elevada, Ontake é apenas um dos 110 vulcões activos, incluindo o famoso Monte Fuji.
Fonte: Euronews, 29 de Setembro 

terça-feira, 23 de setembro de 2014

PORTUGAL | CÂMARA DE LISBOA DIZ QUE NÃO FOI ALERTADA PARA TANTA CHUVA

Autarquia não estava à espera de tanta chuva em tão pouco tempo e queixa-se de não ter sido devidamente avisada sobre este cenário. Várias zonas da capital ficaram alagadas e os bombeiros responderam a mais de uma centena de ocorrências. Comerciantes dizem que a situação se agravou porque as sarjetas estavam todas entupidas e que já deviam ter sido limpas. O vereador da Protecção Civil da Câmara de Lisboa, Carlos Manuel Castro, e o director da Protecção Civil Municipal, Manuel Ribeiro, dizem que não receberam os avisos necessários por parte da Protecção Civil Nacional para prevenir as consequências das fortes chuvadas que ao início da tarde desta segunda-feira caíram na capital. Manuel Ribeiro diz que tiveram de "actuar no terreno", não "tendo sido possível prevenir" a situação porque os "alertas" não foram feitos a tempo e horas. O pico da preia-mar às 15h15 é outra das explicações invocadas pelos dois responsáveis pela Protecção Civil Municipal para a situação de caos que se viveu na Baixa, Avenida da Liberdade, Praça de Espanha e outras zonas da cidade. Vários comerciantes da Baixa dizem que a situação se agravou porque as sarjetas estavam todas entupidas e que já deviam ter sido limpas no final de um mês de Setembro em que se registou uma precipitação anormalmente elevada. No site da Autoridade Nacional de Protecção Civil (ANPC), o último aviso disponível tem data de 18 de Setembro e alerta para fortes condições de instabilidade climatérica em todo o território continental nas 24 horas seguintes. De então para cá não foi colocado mais nenhum comunicado nem feito qualquer alerta específico para esta segunda-feira na zona de Lisboa. Miguel Cruz, da ANPC, diz ao Expresso que o aviso de dia 18 "ainda continua disponível na medida em que as medidas de prevenção continuam atuais". Miguel Cruz disse ainda que o IPMA - Instituto Português do Mar e da Atmosfera "emitiu vários avisos" durante esta segunda-feira e que todos "os alertas emitidos, um de nível amarelo às 9h e outro de nível laranja às 15h19, foram remetidos para os serviços municipais de Protecção Civil de todo o país". O maior pico de chuva ocorreu depois das 13h30. Os Sapadores de Lisboa registaram "156 ocorrências, 121 das quais relativas a inundações que aconteceram na cidade de Lisboa a partir das 14h00".  No seu site, o IPMA tem um alerta laranja para Lisboa [e outros quatro distritos do Continente], que se estende até às 21h desta segunda-feira.

Fonte: Expresso, 22 Setembro 2014

sexta-feira, 19 de setembro de 2014

DESASTRES NATURAIS GERARAM MAIS DESLOCADOS QUE AS GUERRAS

Os desastres naturais que ocorreram no ano passado deslocaram três vezes mais pessoas que conflitos armados, evidenciando uma necessidade urgente de ajudar as pessoas mais vulneráveis a lutar contra as alterações climáticas, de acordo com um estudo publicado esta quarta-feira.
O Conselho Norueguês para Refugiados publicou os dados antes da cimeira das Nações Unidas, na esperança de contribuir para um acordo global sobre alterações climáticas.
O estudo indica que 22 milhões de pessoas foram deslocadas em 2013 devido a desastres naturais, quase três vezes mais que o número de pessoas que teve de sair das suas casas devido a situações de violência.
O problema tem vindo a agravar-se, com o dobro dos deslocados globalmente que em 1970, apesar de o melhoramento dos serviços meteorológicos e operações de salvamento ter contribuído para a redução do número de mortos.
“É um sinal de despertar, acredito, para os líderes mundiais que se vão reunir aqui. Por pior que a situação seja hoje, vai tornar-se dramaticamente pior se não se investir mais no combate”, disse Jan Egeland, secretário-geral do Conselho Norueguês para Refugiados.
“Temos de tornar as pessoas nas Filipinas ou no Chade ou no Haiti tão combativas como nós na Noruega ou nalgumas partes dos Estados Unidos”, disse à AFP.
Egeland é o antigo coordenador do programa de apoio a situações de emergência das Nações Unidas, tendo assumido um papel de relevo na angariação de apoio após o tsunami no Oceano Índico, em 2004.

Nessa altura, lembra, mais de 13 mil milhões de dólares foram doados, não apenas para reconstrução, mas para ajudar na prevenção de futuros desastres.
Fonte: Notícias do Norte (NN) 
http://noticiasdonorte.publ.cv/26466/desastres-naturais-geraram-mais-deslocados-que-guerras/